Culinária e restaurantes Keka

Como cozinheira, lançou nos anos 80 a onda das comidinhas saudáveis, sanduiches naturais e tortinhas feitas com farinha integral. “Me preocupava muito com a minha alimentação,  meus amigos curtiam as minhas receitas e isso terminou virando uma forma de eu ganhar a vida e me manter como atleta”, lembra. Na década de 80, ela fez sucesso como a primeira sushi woman carioca, no extinto e badaladérrimo Sushi Up, no People.

Entre um restaurante e outro, rodou o mundo trabalhando como chef em chartes de luxo. “Viajei pelo Mediterraneo, passei pelas Bahamas, Capadócia, Galícia, conheci muita gente bacana e aprimorei meus dotes como cozinheira”, conta ela que até hoje faz compotas, pães e chutneys para vender. “As pessoas pedem e adoro cozinhar. A cozinha funciona como uma terapia para mim”, diz. 

A pizzaria Keka Good Food and Drinks foi um point badaladérrimo de Itaipava no início dos anos 90. Voltou pro Rio e abriu no Bar 20, em Ipanema, o Keka Bar e Mercearia onde lançou a moda do wheatgrass juice _ o suco de clorofila _ que antecedeu  a onda dos sucos verdes que fazem sucesso hoje em dia. A decoração remetia as antigas mercearias, com frutas, legumes e verduras em exposição, e o cardápio era um primor, dizia assim: Hoje eu vou comer salada de feijão azul. O que você vai querer? Vai lá na cozinha e me fala que eu faço. “As pessoas adoravam e entravam pra falar comigo. Todo o dia tinha um prato diferente, além de um cardápio fixo com sanduiches e comida macrobiótica”, lembra ela que também foi dona do Kekinha, em Itaipava, onde servia pratos balanceados